Poluição Sonora: Causas e Efeitos para Nossa Saúde

Existe, na natureza, um equilíbrio biológico entre todos os seres vivos. Nesse sistema em equilíbrio os organismos produzem substâncias que são úteis para outros organismos e assim sucessivamente. A poluição vai existir toda vez que resíduos (sólidos, líquidos ou gasosos) produzidos por microorganismos, ou lançados pelo homem na natureza, forem superior à capacidade de absorção do meio ambiente, provocando alterações na sobrevivência das espécies. A poluição é essencialmente produzida pelo homem e está diretamente relacionada com os processos de industrialização e a conseqüente urbanização da humanidade. Poluição é, portanto, uma agressão à natureza, ao meio ambiente em que o homem vive. Os efeitos da poluição são hoje tão amplos que já existem inúmeras organizações de defesa do meio ambiente.

Poluição Sonora é qualquer alteração das propriedades físicas do meio ambiente, causada por som puro ou conjugação de sons, admissíveis ou não, que direta ou indiretamente seja nociva à saúde, segurança e ao bem. O som é a parte fundamental das atividades dos seres vivos e dos elementos da natureza.

Os seres humanos, além dos sons que produzem para se comunicar e se relacionar, como as palmas, voz, assobios e passos, também produzem outros tipos de sons, decorrentes de sua ação de transformação dos elementos naturais.

O tempo foi passando, centenas e centenas de anos, até que no afã do prosseguir melhorando as condições de vida do Ser Humano, a indústria, em desenvolvimento constante, trouxe consigo o ruído intensivo e nocivo, intoxicando-nos aos poucos, lesando-nos lenta, constante e irreversivelmente.

Há cerca de 2500 anos a humanidade conhece os efeitos prejudiciais do ruído à saúde. Existem textos relatando a surdez dos moradores que viviam próximos às cataratas do Rio Nilo, no antigo Egito. O desenvolvimento da indústria e o surgimento dos grandes centros urbanos acabaram com o silêncio de boa parte do planeta.

O primeiro decreto que se conhece para a proteção humana contra o ruído no Brasil é de 6 de maio de 1824, no qual se proibia o "ruído permanente e abusivo da chiadeira dos carros dentro da cidade", estabelecendo multas e cadeia que se transformavam em 50 açoites, quando o infrator era escravo.

A poluição sonora difere da poluição do ar e da água nos seguintes aspectos: O ruído é produzido em toda parte e, portanto, não é fácil controlá-lo na fonte, como ocorre com a poluição do ar e da água. Embora o ruído produza efeitos cumulativos no organismo, diferencia-se por não deixar resíduo no ambiente tão logo seja interrompido, o ruído é apenas percebido nas proximidades da fonte. O povo tem mais capacidade de reclamar e exigir ação política acerca da poluição do ar e da água do que a respeito do ruído, por não ter mais efeitos genéricos, como acontece com outras formas de poluição a exemplo da poluição radioativa. Entretanto, o incômodo, a frustração, a agressão ao aparelho auditivo e o cansaço geral, causados pela poluição sonora podem afetar as futuras gerações.

O Lacuca empenhado em manter aceso todos tipos de informações que possam transformar em ações práticas de sustentabilidade o manejo do som, desenvolve um projeto visando agregar valores e conhecimentos para assuntos pertinentes à questão da poluição sonora, ruídos e sua importância, impacto e influencia em nossas vidas. Segue abaixo descritas as atividades desenvolvidas.

                       

Temas para Palestras e Fóruns

 

O som: um fenômeno físico ondulatório periódico

Tipos de Sons

Ruído: qualquer sensação sonora indesejável

Ruído nas Ruas

Ruído nas Habitações

Ruído nos Aviões

Ruído nas Indústrias

Limites de Intensidade

Efeitos na Audição dos Homens

Surdez Profissional

Efeitos na Saúde

Efeito do Ruído em Plantas e Animais

Efeitos dos Ruídos nas Comunicações e no Trabalho.

O Ouvido Humano tolera: máximo 80decibeis, média: 60decibeis

  

 

 <<Voltar